sábado, agosto 12, 2006

Conceitos (5)

Espiritualidade é:
the quality of those forces which activate us, or are the essential principle influencing us. Spiritual, although is might, does not necessarily mean religious; it also includes the psychological. The spiritual is opposed to the biological and mechanical, whose laws it may modify"

(Vaillot, M. C. (1970) "The spiritual factors in nursing". Journal of Practical Nursing, 20, p. 30)

[“a qualidade daquelas forças que nos estimulam, ou são o princípio essencial que nos influencia. Espiritual, embora possa ser, não significa necessariamente religioso; inclui também o psicológico. O espiritual é oposto ao biológico e mecânico, cujas leis pode modificar " (tradução de Ana Caramelo) ]

5 comentários:

Anónimo disse...

Muitas vezes em situação de desespero em que já não há solução aqueles que não acreditam em nada, que não têm uma fé convertem-se e tornam-se crentes porque precisam se se agarrar a qualquer coisa, porque se sentem perdidos e desamparados.

Pelo contrário e em situações identicas, também acontece muitas vezes que aqueles que têm uma formação religiosa ou outra fé bem construida e que crêem realmente, apodera-se deles uma revolta e deixam de acreditar em nada, tudo deixa de fazer sentido porque não vêem solução e sentem que o seu "deus" os abandonou e que é injusto.

mv disse...

Cara(o) anónima(o):
As situações que descrevem podem de facto acontecer: um determinado acontecimento estar na origem de uma "conversão" ou revolta...
Porque será que isso acontece? Pode dar-nos a sua opinião?

Obrigada

Anónimo disse...

Penso que se deve à forma como cada um enfrenta estas adversidades; ao desencadear ou não de estratégias para enfrentar e superar. Às vezes as pessoas dizem que encontram forças não sabem de onde. As razões são difíceis de encontrar e só quem viveu uma situação assim poderá dizer, se bem que às vezes nem as próprias pessoas sabem. Mas tudo isto tem muito que se lhe diga....

Anónimo disse...

Já que pediu uma opinião:
pois eu acho que só nas situações limites (como na doença grave ou próximo da morte) nos questionámos o suficiente para descobrir Deus, que sempre lá esteve - por isso certas "conversões" que mais não são que o terminar do caminho...

... e outros há cuja fé é apenas uma "fezada", acreditam num deus mágico que à primeira dificuldade os desilude, e por isso se revoltam...

É apenas uma opinião.
Tiago Teixeira

maome disse...

Cara M.V.:

Obrigada por estes excertos, que me têm ajudado a reflectir sobre esta temática. Como enfermeira tenho-me questionado como se desenvolvem as competências necessárias para se ser capaz de prestar cuidados espirituais...
Penso que, de facto, esta abertura (à espiritualidade) existe em todos nós e pode ou não ser desenvolvida. Alguns de nós só se apercebem dela perante situações limite, como aqui foi dito. Outros vão desenvolvendo uma certa sensibilidade, uma certa espiritualidade ligada ou não à vivência religiosa. Penso que isto também tem a ver com os nossos níveis de desenvolvimento humano.
Talvez uma das formas de promover a espiritualidade nos cuidados de enfermagem passe por promover o crescimento / desenvolvimento de cada um, enfermeiro ou cliente. E isto é tão difícil no mundo em que vivemos, no qual palavras como ética, crescimento, evolução, espiritualidade - provocam nas pessoas (leia-se enfermeiros) as reacções mais diversas...